Espaços Planejados, Tendências

Aprendendo a definir os metais sanitários

 Os metais sanitários são as peças que compreendem o uso das áreas molhadas (banheiros, cozinhas, lavabos, lavanderias…) de uma edificação. São exemplos: torneiras e misturadores, chuveiros, registros e acessórios, como cabideiros, toalheiros, saboneteiras, dentro outros.

Os metais sanitários, apesar de parecerem apenas funcionais, são elementos cada vez mais nobres para compor cozinhas e banheiros.

As torneiras, misturadores, registros, válvulas e acessórios têm ganhado brilho, cor, materiais nobres, e alto valor agregado, tanto de preço como de elegância e sofisticação.

Além disso, a tecnologia também vem ganhando espaço nesses itens, com sensores que permitem o acionamento quando sentem a presença do usuário, controle remoto para pré-acionamento a distância, controladores de fluxo de água, que permitem economia e uso mais racional, dentre outros. 

Torneiras e misturadores

As torneiras e os misturadores são as peças mais utilizadas e assumem o papel de protagonistas no ambiente. Daí, podem ser mais imponentes e chamativos, de maneira que se destaquem.

As torneiras devem ser funcionais e possuir qualidade para ter uma vida útil bastante longa. Deve-se pensar, também, na comodidade do usuário, pois o tipo de manuseio assume importância fundamental no “design” da peça. Por exemplo, torneiras com base alongada, permitem o acionamento com o cotovelo, enquanto as mãos aguardam a higienização. Por isso, é importante o manuseio da peça antes da compra, como um “test-drive”, para que se encaixe perfeitamente no dia-a-dia da pessoa que irá utilizar.

Os misturadores de água quente e fria podem estar compilados no chamado monocomando. Esta peça facilita o controle da temperatura da água, permitindo mais conforto e também, auxilia na economia, uma vez que o fluxo de água também ali fica controlado.

Chuveiros

Fonte: Deca

Os chuveiros em metal são diferentes daqueles em plástico – mais encontrados no mercado – não somente pelo material de produção. Diferentemente, desses últimos, o chuveiro
em metal não é elétrico, mas sim, preparado para receber a água quente que deriva de aquecedores externos ao chuveiro, como aqueles à gás ou solares. Eles são mais resistentes, e assumem um papel estético cada vez mais importante, com formas limpas (clean) e esbeltas, além de permitirem variabilidade de jatos, conforme o conforto pretendido.

Duchas higiênicas

A ducha higiênica tem se tornado um utensílio cada vez mais utilizado nos banheiros atuais. Isso acontece pela ausência dos antigos bidês, bem como, pela redução do tamanho dos banheiros, cada vez mais compactos.

Válvulas de descarga

Quando os vasos sanitários não possuem caixa acoplada, ou seja, utilizam a conhecida válvula “hydra”, estas precisam ser dotadas de um acabamento para seu acionamento. Esta peça assume um papel estético importante por ficar fixada na parede de maneira central na maioria dos banheiros. Além disso, ela pode ser funcional e ainda poupar água, uma vez que o mercado já disponibiliza há algum tempo, válvulas com funções que variam o fluxo de água conforme a necessidade de uso do usuário.

Acessórios

Os acessórios de cozinhas e banheiros são itens fundamentais. Ali deve-se respeitar a linguagem do ambiente como um todo, procurando harmonizar essas peças, com aquelas mais funcionais, como torneiras e chuveiros. Alguns fabricantes disponibilizam a linha completa, no mesmo padrão (chuveiros, válvulas, torneiras e acessórios). Mas isso não precisa ser seguido a risca. O importante é entender que essas peças são complementares. Portanto, não devem ofuscar a presença dos itens fundamentais e mais funcionais, como os misturadores, por exemplo. Uma papeleira, pode assumir o formato de uma peça solta, decorativa. Algo informal e despretensioso com relação aos demais metais sanitários.

Observações importantes:

Lembre-se sempre de escolher marcas de reconhecimento no mercado, fabricados com matéria-prima de qualidade, como o aço inox.
Outro fator importante é conhecer a pressão à que a peça estará submetida: alta ou baixa pressão de água. Isso determina o tipo de base (a parte funcional do mecanismo) que deve fazer parte do conjunto para o melhor funcionamento. Muitos fabricantes exigem pressão mínima de 3 mca (metros de coluna de água) para garantir o funcionamento. Lembre-se: quanto mais distante da caixa d’água, maior é a pressão.

Outro fator importante é a definição do local da instação do metal sanitário. Uma torneira de parede tem necessidades diferentes de instalação de uma torneira de bancada.

Portanto, é de suma importância já se pensar nos tipos de metais sanitários na etapa de projeto de arquitetura da edificação, junto ao profissional arquiteto.

Para saber mais sobre dicas de arquitetura e construção, acompanhe as atualizações do Blog da Recta Quatro. Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário ou entre em contato.